A lógica capitalista.

O trabalhador vende e coloca à disposição do empregador valiosas horas de sua finita permanência neste mundo. Para ele, o capital é cada minuto de sua vida.

E, em contraposição, o patrão explora esse tempo o máximo que puder e objetiva maximizar seu lucro. Sabe que uma das formas básicas para aumentar sua rentabilidade é comprar mais tempo de vida do trabalhador pelo menor preço possível.

E, assim, na mesma linha, basta perguntar a qualquer empregador e gostaria que seus empregados trabalhassem mais tempo por salários menores.

Enfim, empregado é empregado, subordinado e dependente do empregador.

Esta é a lógica implacável do sistema capitalista.