Trabalhador essencial é maior vítima da pandemia.

Artigo de Flávio Romeu Picinini

O Brasil chegou a triste marca de 500 mil mortos pelo coronavírus, uma tragédia sem igual.

Dentro desta trágica situação que enfrentamos, uma outra tragédia: a constatação de que entre os motoristas de caminhão, foram registradas 1.449 mortes em março e abril, o maior patamar entre as ocupações e um aumento de mais de 400% em relação ao mesmo bimestre de 2020.

Os dados demonstram que os efeitos da pandemia são desiguais, e os trabalhadores mais “invisíveis” —aqueles de baixa remuneração ou que não puderam aderir ao trabalho remoto e nem manter níveis seguros de distanciamento social— foram os que mais sofreram nos últimos meses.

Elvis Cesar Bonassa, diretor da Kairós Desenvolvimento Social, afirmou em artigo publicado hoje no jornal Folha de São Paulo que “por circularem intensamente, os motoristas de caminhão, além de serem as maiores vítimas de óbitos, podem ser também vetores do vírus e suas variantes entre os estados e regiões do país”, diz

O jornal afirma ainda que “a demora na chegada de novas doses de imunizantes e a falta de previsibilidade na rotina também prejudicam a imunização de muitos desses profissionais.

Além das mortes de motoristas de ônibus, assusta também o aumento nas mortes de vigilantes —alta de 234% na comparação com antes da pandemia—, vendedores do comércio (crescimento de 187%), porteiros (147%) e faxineiros (97%), ainda segundo os dados Caged, que foram compilados pela Kairós.

Pesa contra esses trabalhadores a necessidade de deslocamento entre a residência e o trabalho por meio de transporte público, o que aumenta o risco de contágio.”

Fonte: www.folha.com.br

Dúvidas? Pergunte, comente.

white volvo semi truck on side of road
Photo by Quintin Gellar on Pexels.com

SE VOCÊ TIVER ALGUMA DÚVIDA RELACIONADO A ESSE ASSUNTO, NÃO DEIXE DE AGENDAR UMA CONSULTA CLICANDO NO BOTÃO ABAIXO

Fique por dentro

Explore por mais artigos

Burger King e o preconceito.

Burger King é chamado de lixo nas redes sociais após lançar a campanha “Nossa, como eu vou explicar a sigla LGBTQIA+ para as crianças?”

Lei do motorista profissional.

O motorista profissional que trabalha com carteira registrada tem direitos garantidos por lei. ✅ – Quanto à jornada de trabalho: A jornada de trabalho do

A lógica do sistema capitalista

O trabalhador vende e coloca à disposição do empregador valiosas horas de sua finita permanência neste mundo. Para ele, o capital é cada minuto de sua vida.

O caso do casal Diego e Angélica.

Mais uma semana de trabalho em ritmo intenso, e estou agradecido pela oportunidade que tive de prosseguir com a missão de esclarecer pessoas. Sexta-feira conheci

Shape
%d blogueiros gostam disto: